N2O ou Ar Comprimido? Qual a realidade da anestesiologia brasileira?

O N2O visivelmente tem deixado de ser usado em anestesias no Brasil, mas qual é a realidade desse dado?

Grupos de anestesiologistas brasileiros em redes sociais, a título de curiosidade, começaram a discutir sobre o uso ou não Óxido Nitroso nas anestesias gerais no Brasil.

A partir dessa conversa, estratificamos na base de dados da Anestech dos últimos 5 meses como foi o uso do N2O vs. Ar Comprimido.

Volume total usado de N2O em anestesias: 2.355,50 litros uma média de 0,56 l/h.

Volume total de Ar Comprimido usado em anestesias: 72.483,90 litros.

Ou seja, podemos inferir extra-oficialmente que o uso de ar comprimido em anestesias no Brasil hoje é 30,1 vezes maior do que o N2O.

A anestesia não fica muito melhor quando os dados são bem tratados e podem virar conhecimento?

Como seria na sua insituição se os anestesistas informassem os gestores as quantidades de gases necessárias para se evitar desperdício e melhorar o processo de compra? Qual seria a SUA importância na cadeia e nos processos?

Anestesia 4.0 é ressignificar o papel do anestesiologista a partir da inteligência de seus dados.

#anestech #axreg #excelenciaemanestesia #anestesia4ponto0#anestesiasempapel