Sistemas de Gestão de Dados – AIMS

Fichas de anestesia digitais vêm evoluindo de simples sistemas de registro de dados intraoperatórios para soluções sofisticadas integradas aos diversos prontuários eletrônicos hospitalares, documentando as principais informações de todo o período perioperatório, por isso, são chamadas atualmente de ‘AIMS’ (Anesthesia Information Management Systems), um robusto Sistema de Gestão de Dados Perioperatórios que, além de registrar dados do pré, intra e pós-operatório, permite otimizar processos administrativos, controle de qualidade e muito mais.

A principal função dos AIMS ainda é o registro eletrônico de dados anestésicos de forma manual ou automática (através da integração com monitores multiparâmetros e aparelho de anestesia). Permite que o Anestesiologista registre as principais informações do ato anestésico como os fármacos e fluidos infundidos, eventos críticos como indução anestésica, posicionamento do paciente, etc; além disso, o registro de códigos de diagnóstico (CID) e procedimentos (TUSS) é fundamental não só para cobrança, mas análise de dados secundária e acompanhamento de tendências na área de saúde. 

É importante frisar que para facilitar a documentação intraoperatória (de maneira mais acurada e legível) os AIMS apresentam diversos elementos de interface que vão de simples campos de texto e questionários a complexas ferramentas gráficas. Além da entrada e registro de dados, esses sistemas podem emitir alertas em tempo real como interações medicamentosas e apoios cognitivos mais complexos (CDS – Clinical Decision Support) que são os avanços mais recentes incorporados aos AIMS que podem gerar benefícios tanto administrativos (maximizar a eficiência do Centro Cirúrgico) quanto melhorar o cuidado prestado ao paciente (aprimorar a aderência a protocolos e ‘guidelines’).

Estudos recentes indicam que AIMS com apoio cognitivo (CDS) podem melhorar significativamente a performance do anestesista e consequentemente o cuidado com os pacientes, particularmente se oferecer recomendações baseadas em evidência. 

 

A implementação de AIMS também facilita a pesquisa clínica e projetos colaborativos entre instituições. Diversos estudos multicêntricos já foram publicados tendo como base dados coletados por AIMS. Assim os sistemas de apoio cognitivo podem ser retro-alimentados por dados reais que podem aumentar o nível de evidência: é a Anestesiologia aprimorada pelo Data Science. 

O cenário real dos hospitais brasileiros ainda é ficha anestésica de papel ou uma ficha anestésica eletrônica de baixa qualidade que é imposta aos anestesiologistas por fazer parte do prontuário eletrônico, sendo apenas mais um módulo deste, sem levar em conta as peculiaridades do período tão crítico que é o ato anestésico/cirúrgico, muito menos o fluxo real de trabalho do anestesiologista.

O AxReg é um AIMS, que apesar de ser independente, interconecta-se com a maioria dos prontuários eletrônicos adotados em hospitais brasileiros. Idealizado por anestesiologistas para anestesiologistas. 

 

Referência:

Simpao, Allan F.; Rehman, Mohamed A. Anesthesia & Analgesia127(1):90-94, July 2018. Anesthesia Information Management Systems.

 

Co-autoria: Tatiana Martins.


Dr. Marcus Alcadipani

Autor:

Dr. Marcus é Médico Anestesiologista e Analista de Sistemas. Sua linha de atuação atual é usabilidade e apoio cognitivo de aplicativos médicos.

Posts relacionados

23/08/2019

O Anestesiologista Como Protagonista da Inovação

07/06/2019

Anestesiologia e Economia Hospitalar

10/05/2019

Palestra Anestesia e Tecnologia

14/04/2019

Hipertermia Maligna: Um Relato Ilustrado de Um Caso Real