Avaliação pré-anestésica em consultório



Realizar a consulta pré anestésica para qualquer cirurgia é diretriz do profissional anestesiologista segundo a resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM).

O objetivo maior desta consulta é poder garantir a segurança anestésica, esclarecendo as dúvidas dos pacientes, reduzindo o nível de ansiedade, diminuindo as chances de cancelamentos cirúrgicos e melhorando a satisfação do paciente, além de criar um vínculo da equipe interprofissional que irá assistir o paciente durante todo o período perioperatório.

Além destas vantagens, a avaliação pré anestésica reduz significativamente a morbidade, somado a qualificação do ato-anestésico-cirúrgico.

Para realização desta consulta, o anestesiologista segue uma linha de raciocínio clínico e avaliativo, iniciando pela entrevista com o paciente em que ele busca se informar sobre:

  • Condições físicas, psíquicas e sociais, além de identificar informações ao propósito clínico como histórico de comorbidades;
  • Se possui algum tipo de alergia, relação dos medicamentos contínuos e controlados, com detalhamento das doses diárias;
  • Histórico de cirurgias (eletivas ou de urgências);
  • Se houve intercorrências cirúrgicas, como infecções de sítio cirúrgico;
  • Se já recebeu anestesias anteriores e qual técnica anestésica adotada;
  • Dados do procedimento cirúrgico atual.

A consulta é comumente realizada em dias antecedentes a cirurgia. Muitos profissionais já incluem na avaliação o “risco cirúrgico”, que consiste em uma avaliação clínica no pré-operatório.

Vale lembrar que esta avaliação não precisa necessariamente ser feita pelo mesmo anestesiologista que irá realizar a intervenção anestésica durante a cirurgia.

E esta informação é fundamental que seja dita a paciente e/ou acompanhante ou responsável. 

Além disso, informações sobre os cuidados antes, durante e após a cirurgia são repassados aos pacientes para que ele já tenha conhecimento de todo o fluxo de atendimento, como também do que irá ocorrer, amenizando a angústia e sanando as dúvidas.

As informações básicas dos cuidados pré-operatório envolvem: jejum pré-operatório, rotinas da anestesia, informações sobre a técnica anestésica estabelecida para a realização da cirurgia.

Ademais também é fornecida a prescrição de medicamentos que o paciente deve tomar ao ser admitido no centro cirúrgico – medicação pré anestésica – que objetiva minimizar os anseios e medo do paciente por ser submetido a cirurgia e a própria técnica anestésica, pois muitos relatam que o medo maior é da própria anestesia, e não da cirurgia.

Na realização do exame físico, um dos principais escores para mensuração e risco e óbito para avaliação pré-operatória é através do Sistema de Classificação do Estado Físico da ASA (American Society Anesthesiologists).

Esta escala classifica o paciente de acordo com o seu estado clínico geral de acordo com a presença ou não de condições patológicas, através de seis estados físicos, crescente ao percentual de mortalidade entre cada classe:

Após realizado a anamnese e coleta da história clínica-cirúrgica do paciente, são feitas as diversas avaliações do paciente como:

  • Vias Aéreas;
  • Respiratórias;
  • Cardiovasculares;
  • Endocrinológicas;
  • Solicitações de exames pré operatórios.

Horas antes da cirurgia, alguns cuidados devem ser realizados e é fundamental que nesta consulta o paciente saia com todas informações colhidas para que a realização tanto anestésica, quanto cirúrgica sejam segura e eficaz:

Jejum pré-operatório, e de acordo com a Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), algumas especificações são direcionadas:

  • Seleção da técnica anestésica de acordo com o porte e classificação da cirurgia, como também informações sobre analgesia pós-operatória;
  • Prescrições ou suspensões de fármacos;
  • Orientações sobre a administração dos ansiolíticos;
  • Informações sobre as possíveis reações e complicações indesejáveis pós anestésica como tremores, dores, náuseas e vômitos;
  • Orientações para remoção de próteses dentárias móveis;
  • Recomendações para não fazer uso de adornos e cosméticos (esmaltes escuros, batons, aplique de cabelo e pintura facial);
  • Proibição de bebida alcoólica e tabagismo, por aproximadamente 24 horas antes da cirurgia.

Depois que todas as explicações foram repassadas, avaliação clínica executada, dúvidas retiradas, o paciente assina o Termo de Consentimento Informado (TCI), ao qual é anexado aos documentos para internação do procedimento anestésico-cirúrgico em que será submetido. Este documento visa tornar ciente o paciente e/ou seu acompanhante e responsável sobre a anestesia proposta.

Claro que todas estas informações, você como profissional anestesiologista já tem internalizada em sua rotina e prática profissional.

Mas para qualificar a sua prática anestésica, e tornar sua consulta pré anestésica com foco principalmente no paciente, e não em questões burocráticas e de fluxo, ainda que essenciais, nosso aplicativo AxReg hoje conta com uma versão atualizada para realização do registro pré anestésico em consultório.


Tatiana Martins

Autor:

Tatiana é enfermeira, Mestre em Enfermagem e Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (PEN/UFSC). Sua linha de pesquisa está voltada para a área cirúrgica, enfocando os cuidados preventivos às infecções hospitalares, visando a segurança do paciente.

           
Posts relacionados