Qual o papel da auditoria no centro cirúrgico?



Com o cenário tão incerto no setor da saúde e muitas mudanças acontecendo atualmente, muitos profissionais temem uma consequência: A diminuição da qualidade dos serviços prestados. 

Mas a auditoria em saúde veio justamente para ajudar a contornar esta questão.

Uma vez estabelecida a expectativa do serviço, a auditoria em saúde exerce o papel de garantir que a qualidade do serviço esteja de acordo tanto com esta expectativa quanto com o custo deste serviço na chamada, como ocorre na auditoria de contas médicas

Auditoria no centro cirúrgico

Uma das vertentes que demanda muita atenção da auditoria tanto de contas médicas quanto concorrente são as ações no centro cirúrgico.

Sabemos que no centro cirúrgico temos diversos processos sensíveis envolvidos. 

Estes processos envolvem um alto valor agregado em relação ao procedimento e ao impacto na assistência. 

Sendo uma área de extrema importância para o hospital e de alta complexidade, a auditoria no centro cirúrgico deve ser encarada como um auxílio na prática clínica.

Como funciona o processo

O ponto principal do processo de auditoria no centro cirúrgico se dá principalmente pela a análise das anotações realizadas no prontuário do paciente pela equipe. 

Depois da análise, é feita a comparação com o valor apresentado da cobrança hospitalar relativa ao serviço prestado. 

O que muitas vezes acontece é a ausência de informações no prontuário do paciente que justifique o uso de determinados medicamentos ou materiais usados no centro cirúrgico. 

Esta ausência de informações pode levar a potenciais glosas hospitalares, comprometendo o faturamento do prestador.

O papel da auditoria como aliada

Como mostramos anteriormente, a falta de informações que justifiquem as condutas da equipe assistencial pode impactar diretamente os recebimentos. 

Assim, a auditoria no centro cirúrgico deve ser encarada como um agente promotor da assistência em saúde e um apoio a tomada de decisão, não como um questionador de condutas. 

Além disso, a auditoria não busca um responsável por um possível evento adverso ou determinada complicação mas sim o porquê ocorreu esta situação. 

Quando não há acesso ao dado de saúde, não há como justificar este porquê e é aí onde ocorrem as glosas hospitalares, podendo até desgastar a relação entre operadora de saúde e prestadores. 

Desta forma, é fundamental a conscientização dos profissionais da saúde sobre o papel da auditoria e como ela pode se tornar uma aliada.

A tecnologia como melhoria no processo

Porém, ainda dá para melhorar o processo. O avanço tecnológico vem propiciando uma diminuição nas inconformidades e riscos envolvidos nos procedimentos realizados no centro cirúrgico. 

A auditoria no centro cirúrgico pode ser potencializada e facilitada pelo uso dessas novas tecnologias tanto pelo hospital como pelas operadoras de saúde.

Estas tecnologias incluem desde materiais mais sofisticados até sistemas de apoio na tomada de decisão para a equipe de saúde. 

Assim, com o uso da tecnologia é possível a diminuição de possíveis inconformidades e ineficiências no processo. 

Isto somado à conscientização do papel da auditoria no centro cirúrgico e a necessidade do preenchimento de informações no prontuário, o processo se torna um aliado na busca pela qualidade da assistência do paciente que está no centro de tudo.


Erika Monteiro

Autor:

Erika Monteiro é COO e cofundadora da Carefy, plataforma de gestão e monitoramento de pacientes internados para auditoria de internações de operadoras de saúde.

           
Posts relacionados