O que é interoperabilidade na saúde?



Interoperabilidade na saúde

Você já ouviu falar em interoperabilidade na saúde? Esse é um tema recorrente, que vem ganhando muito destaque, principalmente em hospitais, clínicas e consultórios.


A proposta é bastante desafiadora, no entanto, promissora, já que a tecnologia está dominando os espaços na área da saúde. Aliás, a tendência é aumentar nos próximos anos. 

Mas o que realmente é interoperabilidade na saúde? E por que essa pauta tem chamado tanto a atenção de gestores hospitalares e, até mesmo, de pacientes?

O que é interoperabilidade? 

Interoperabilidade é quando diferentes sistemas operacionais conseguem trabalhar de forma simultânea. E se comunicam, mesmo com suas distinções. 

Por meio de softwares, os sistemas podem interagir de maneira segura e eficaz. Além disso, trabalham sem a intervenção humana. 

O conceito é aplicado em diversas áreasComo: saúde, indústria e varejo. 

No setor da saúde, a interoperabilidade tem um papel muito importante e específico. 

Como funciona a interoperabilidade na saúde?  

No nosso setor de saúde, o conceito original se mantém: integrar sistemas e plataformas para que trabalhem com eficácia entre si.

Dessa forma, a interoperabilidade surge para permitir a troca de dados com diferentes ferramentas e aplicações. É, a partir dela, que conseguimos registrar o histórico do paciente, sem perder informações e gerando cada vez mais inteligência sobre acompanhamento do paciente. 

Inclusive, a integração dos sistemas pode, e deve, ser efetuada em todos os setores dentro de hospitais e instituições. 

A evolução digital na área da saúde pode ainda ser encarada como um grande ponto de interrogação em algumas instituições. Afinal, muitos processos e procedimentos foram conduzidos de forma manual por mais décadas. 

Hoje, mais do que nunca, o setor deve evoluir com a implantação de sistemas digitais.  

Esses sistemas tornam possível a troca de informações de maneira eficiente, a fim de complementar as melhorias de tratamento do paciente e, ainda, facilitar o dia a dia da equipe médica e hospitalar. 

Com a interoperabilidade de dados, ao encaminhar um paciente para outro setor, a equipe tem acesso completo às informações do paciente durante seu tratamento. Tornando o atendimento mais satisfatório para o paciente e otimizando o trabalho dentro da instituição. 

Quais as vantagens da interoperabilidade na saúde? 

Investir na interoperabilidade é uma decisão que traz diversos benefícios, para o hospital e instituições, médicos, equipe hospitalar e principalmente para o paciente que está no centro de todo desenvolvimento de tecnologia em saúde.

Vamos a alguns dos benefícios

Menos erros = aumento da produtividade

Com a interoperabilidade, as informações são transmitidas de forma transparente e segura, auxiliando na redução dos riscos de erros.

Ao integrar os sistemas, as informações possuem uma mesma fonte, evitando perdas ou repetições de documentos que podem divergir. Como falamos, é possível acompanhar o histórico do paciente com os procedimentos realizados, fármacos ministrados e demais atendimentos.

Redução de custos

A integração de sistemas tem um papel fundamental em diminuir os custos em diversos processos da saúde. São muitos os impactos nos custos. Ao integrar os sistemas, e assim, as informações do paciente, todos os procedimentos e fichas são digitais, ou seja: adeus glosas! Com um trabalho digital em banco de dados seguro, as informações são validadas e registradas, sem perdas de papeis, custos de impressão, e, por outro lado, é disponibilizado um arsenal de informações para melhorias na gestão hospitalar.

E claro, com a otimização da interoperabilidade, a equipe médica pode se dedicar ainda mais aos pacientes – e menos aos processos burocráticos.

Eficácia no tratamento do paciente

A interoperabilidade na saúde impacta o paciente de forma positiva. Afinal, todos os dados do seu histórico de atendimento e tratamentos são integrados em um histórico. O que dá uma melhor direção ao médico.

Portando, gera maior eficácia no diagnóstico. Aliás, em situações de emergência, esse histórico pode salvar vidas.

Acompanhe o exemplo

Imagine que você sofra um acidente que o deixe inconsciente, então seus familiares te encaminham para um hospital de uma rede em que é ja foi atendido anteriormente.

Devido à gravidade da situação, você é encaminhado diretamente para o centro cirúrgico, porém o médico responsável não consegue encontrar suas informações anteriores, pois o sistema em que essas informações foram cadastradas não está integrado com a nova ferramenta do profissional. Sendo assim, o profissional precisa consultar os seus familiares sobre informações importantes relacionadas a sua saúde, sem a garantia de que todos dados são válidos e completos como seriam se pudesse consultar o que você informou em seu atendimento anterior.

Entende como a interoperabilidade é importante nos sistemas de saúde?

A tecnologia traz ao setor a automação de processos, redução de custos e potencializa os resultados. Portanto, esses recursos na gestão só podem somar.

Ou seja! A interoperabilidade é uma necessidade no setor da saúde.

Esse artigo foi útil? Quer saber mais sobre interoperabilidade? Clique Aqui!


           
Posts relacionados