Proteja os dados do centro cirúrgico com a tecnologia



A rotina das instituições de saúde demanda a coleta e o armazenamento de informações importantes em grande volume, desde o prontuário do paciente até os dados do centro cirúrgico.

Atualmente, alguns destes setores ainda fazem o armazenamento de dados em papel, o que não garante a confiabilidade e eficácia completa. Porém, essa prática pode ser facilmente substituída.

Com um sistema digital integrado, a sua empresa ganha em praticidade e, principalmente, no quesito segurança. O armazenamento adequado dos dados é essencial e precisa ser considerado.

Hoje em dia, é possível contar com soluções tecnológicas que automatizam o processo de armazenamento dessas informações e as colocam em bancos de dados seguros, evitando perda e vazamento.

Neste artigo, vamos te ensinar a importância do bom armazenamento de dados do centro cirúrgico e como mantê-los em segurança.

Princípios básicos da segurança da informação na saúde

As empresas que desenvolvem tecnologia para o setor da saúde, conhecidas como healthtechs, exercem um papel fundamental no sigilo e no armazenamento dos dados do centro cirúrgico e demais áreas em instituições de saúde.

Por isso, elas sempre buscam garantir a inviolabilidade de dados em seus sistemas e softwares usando os princípios básicos da segurança da informação:

  • Disponibilidade: a garantia de que os dados estarão disponíveis para acesso dos usuários quando desejado;
  • Confidencialidade: que garante a eficácia de que os dados só poderão ser acessados por pessoas autorizadas;
  • Integridade: assegura que o conteúdo dos dados não tenha sido violado ou alterado.

Além desses três pilares principais, também é possível acrescentar como princípios básicos de segurança da informação outros dois fatores:

  • autenticidade: que define a segurança e a identidade da origem da informação com o uso de certificações digitais;
  • legalidade: que garante que o uso de tecnologia siga os princípios e leis vigentes de cada país, como é o caso do Brasil com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

Para se ter uma ideia da importância das healthtechs para a saúde, somente no primeiro trimestre de 2021 foram investidos cerca de 90 milhões de dólares neste mercado, valor 85% maior do que o total investido durante todo o ano de 2020, de acordo com o relatório Inside Healthtech Report da Distrito, de março de 2021.

Por que é importante fazer uma boa gestão de dados do centro cirúrgico?

A rotina de informações em papel nos CCs geram um volume excessivo. Além disso, é muito difícil garantir a segurança dos dados por completo se o processo não for digital.

A automatização destes processos permite um melhor controle dos indicadores na gestão, como os resultados para análise de conduta, controle de qualidade, segurança do paciente, entre outras variáveis que estão relacionadas às boas práticas cirúrgicas.

Como manter os dados do centro cirúrgico em segurança?

Como já falamos anteriormente, a era da transformação digital traz muitos benefícios para a saúde, de modo geral.

Sendo assim, todos os setores ganham com a digitalização e automação dos processos, e o centro cirúrgico não fica de fora.

Mas, para manter essas informações em segurança, algumas ações devem ser colocadas em prática, como:

Uso de softwares

Uma das formas de se obter um CC mais eficiente e otimizado é investindo em softwares e equipamentos modernos. Com eles, é possível armazenar dados em nuvem, para garantir a eficácia das informações coletadas e permitir manutenções periódicas.

Um exemplo desses softwares é o gerenciamento de dados do centro cirúrgico com registro em Dashboard Business Intelligence – DBI

Sistema de segurança de dados

Para garantir a segurança dos dados do centro cirúrgico, é importante ter um sistema de criptografia avançado e um firewall instalado na rede da empresa.

É possível contratar companhias especializadas em segurança de dados para auxiliar nesse processo.

Além desses cuidados, sua empresa também pode:

  • criar normas de confidencialidade, solicitando aos colaboradores a assinatura de um termo para evitar o vazamento de informações internas;
  • fazer backup dos dados sempre que possível, para evitar perda de informações relevantes;
  • monitorar o acesso dos usuários, segmentando o acesso de cada colaborador à área em que ele está alocado. Assim, é possível garantir que as informações sejam limitadas por setor e o acesso mais restrito;
  • treinar os colaboradores periodicamente, para que o processo de utilização de ferramentas tecnológicas seja eficiente e não tenha riscos;

Indo mais além, não se pode esquecer da LGPD, que exige muito mais das empresas de saúde na hora de coletar e armazenar dados dos pacientes, inclusive exigindo o uso de certificados digitais mencionados acima no tratamento de dados sensíveis.

Por isso, se o centro cirúrgico onde você atua não digitalizou o processo de coleta e armazenamento de dados ainda, é importante que isso seja feito o quanto antes.

Se você quer descobrir como melhorar a gestão do CC no processo de transformação digital da Saúde, leia este artigo e saiba mais!


           
Posts relacionados