3 benefícios da tecnologia na gestão hospitalar



Administração hospitalar e soluções tecnológicas são uma dobradinha que não se separam mais. Atualmente é impossível gerir um hospital ou instituições de saúde sem contar com a tecnologia mediando os processos.

Os benefícios são variados e comprovam que as inovações tecnológicas trouxeram uma grande revolução para o setor de saúde e, consequentemente, para a tarefa de administrar seus estabelecimentos. Os médicos são os responsáveis por dar a palavra final em relação a qualquer procedimento a ser adotado, mas a tecnologia é uma aliada importantíssima nesse processo, identificando padrões e apontando caminhos em meio ao enorme volume de dados e planilhas sobre os pacientes.

Esse novo panorama alterou a rotina dos hospitais e clínicas, já que a tecnologia trouxe mudanças que envolvem desde a eliminação de documentos em papel passando por diagnósticos mais precisos e rápidos até o aumento de chances de sobrevivência, como no caso de bebês prematuros.

Mas quais outras vantagens de uma gestão hospitalar mediada pela tecnologia? Quais os impactos positivos os recursos digitais trouxeram para a prática? A seguir, vamos discutir três benefícios dessas inovações para a gestão hospitalar. Acompanhe!

 

1.  Tecnologia otimiza todos os processos da instituição hospitalar

Um dos grandes benefícios que os recursos tecnológicos trouxeram para a administração hospitalar diz respeito à automação dos processos. Com a adoção não só de equipamentos mais modernos, mas também de softwares e aplicativos, o dia a dia de um hospital se modificou completamente. Métodos manuais, lentos e burocráticos não atendem mais as necessidades e hoje há instituições de saúde totalmente tecnológicas, chamadas de hospitais digitais.

Com os processos otimizados, praticamente não há mais uso de papel nessas instituições de saúde. As informações são digitalizadas e os dados dos pacientes ficam reunidos em um sistema seguro, chegando com mais agilidade às mãos de médicos e funcionários.

Isso é possível com a implementação do armazenamento de dados em nuvem, que consiste em um sistema de computação que reúne os dados dos pacientes online ou em nuvem. As informações são transmitidas e arquivadas em um sistema remoto. Na sequência, os dados são gerenciados, armazenados em backup e disponibilizados aos usuários por uma rede. A grande vantagem é que médicos e anestesiologistas, por exemplo, podem acessar rapidamente o banco de dados, compartilhar informações com outros profissionais, checar prontuários e resultados laboratoriais de pacientes. É uma ferramenta que dá aos profissionais de saúde muito mais segurança para definir diagnósticos e tratamentos médicos.

Nos centros cirúrgicos, os profissionais não têm mais que acessar planilhas ou relatórios em papel. Os prontuários e registros anestésicos são digitais. A ficha anestésica, com dados fisiológicos e farmacológicos, é totalmente virtual. Ao acessá-la, o médico encontra informações de maneira simplificada, intuitiva e tem um panorama completo da situação do paciente, com gráficos e relatórios automatizados. Isso traz uma grande segurança às decisões tomadas pela equipe cirúrgica: os riscos de erros de dosagem ou tipo de medicamento, por exemplo, diminuem consideravelmente.

E o resultado se reflete na gestão do hospital, pois a equipe médica terá maior produtividade, agilidade e uma performance muito mais assertiva.

 

2. Tecnologia reduz os custos da gestão hospitalar

Outra vantagem trazida pela tecnologia é que a gestão hospitalar fica menos onerosa. A opção pelo armazenamento em nuvem, por exemplo, gera gastos menores do que a aquisição de servidores físicos ou outras infraestruturas dispensáveis quando todos os dados do paciente estão online.

Os gestores economizam, também, porque o sistema em nuvem disponibiliza o backup dos dados médicos em tempo real. Sendo assim, não há gastos com tintas de impressora nem com papéis, já que o prontuário do paciente pode ser acessado online.

Os custos também caem porque as ferramentas digitais facilitam o trabalho dos médicos, auxiliares de saúde, atendentes e dos profissionais do administrativo. Eles não perdem tempo realizando procedimentos manuais, rotineiros ou repetitivos. As tarefas ficam mais fluidas e a assertividade dos procedimentos aumenta. Consequentemente, diminuem as chances de erros médicos e os custos advindos desses equívocos.

Com os dispositivos tecnológicos, os gestores ainda têm um controle mais preciso dos estoques, dos serviços prestados pelos fornecedores e da logística que envolve todo o hospital. Nos centros cirúrgicos, por exemplo, não se gasta desnecessariamente porque o prontuário digital do paciente indica quando marcar os procedimentos, impedindo que faltem salas para cirurgias ou atendimentos, ou vagas em UTI´s. Há uma segurança também em relação ao estoque de fármacos, evitando a falta de medicamentos ou o gasto excessivo com eles.

 

3. Tecnologia proporciona atendimento hospitalar de excelência

O sistema de gestão hospitalar também se beneficia da tecnologia quando, por meio dela, consegue oferecer um atendimento de saúde de excelência. Isso é fruto não só de equipamentos de última geração ou mudança de protocolos e normas, mas também de tecnologias vindas do campo da Inteligência Artificial, como o Machine Learnig. Essa inovação permite exames e diagnósticos mais precisos, tratamentos mais assertivos, procedimentos menos invasivos e recuperações mais breves.

Do português “Aprendizado da Máquina”, o Machine Learning (ML) é um campo da Inteligência Artificial que atribui aos computadores a capacidade de aprender de forma automática. Trata-se de um sistema que usa os algoritmos para coletar dados – que podem ser imagens, números e outros tipos de informação -, fazendo com que a máquina determine ou preveja algo. No campo da saúde, os hospitais que possuem essa tecnologia são capazes de cruzar informações com um banco de dados de pacientes, contendo a relação de seus sintomas e diagnósticos. Assim, os médicos encontram padrões, observando os sintomas e descobrindo o mal que acomete pacientes.

O resultado disso é um atendimento de excelência, pois os médicos não só detectam as doenças, mas também planejam um tratamento modulado às necessidades do paciente.

Como se vê, o gerenciamento de um hospital ganha muito ao investir em soluções tecnológicas. Todos os procedimentos ficam mais fluidos, menos onerosos, mais assertivos e os pacientes recebem um atendimento de excelência quando procuram uma instituição de saúde.

 

Quer se aprofundar mais no tema? Confira este outro artigo do nosso blog: Hospital digital: qual o papel da gestão hospitalar


           
Posts relacionados