Data Driven na saúde: tudo que você precisa saber sobre esse conceito



Oferecer um atendimento humanizado, ágil e eficiente são os principais objetivos da gestão hospitalar.  Pois, assim como em qualquer mercado, até mesmo no da saúde, o sucesso de uma empresa está ligada ao bom atendimento e boa experiência do cliente. A cultura data driven é um conceito que engloba recursos tecnológicos como a Inteligência Artificial e o Big Data, para otimizar os processos e garantir o alcance desses objetivos nas instituições de saúde.

Neste texto, explicamos tudo que você precisa saber sobre o data driven na saúde e como utilizar os dados para obter os melhores resultados. Continue lendo!

 

Entenda o conceito de Data Driven

O dia a dia de uma instituição de saúde é repleto de desafios e, em todo tempo, os profissionais precisam fazer escolhas complexas. Sendo assim, em um ambiente onde o principal objetivo é salvar vidas, os processos devem ser mais assertivos, para eliminar os erros e garantir um tratamento humanizado aos pacientes.

Ao longo do processo de tratamento, existe uma grande quantidade de informações importantes para que etapas como os procedimentos cirúrgicos, por exemplo, sejam realizadas com sucesso. A boa notícia é que existe tecnologia especializada para tratar desses dados em larga escala e maximizar os resultados.

Data Driven se refere aos processos organizacionais orientados por dados. Ou seja, quando o hospital baseia a tomada de decisão e o planejamento estratégico na coleta e na análise de informações.

A disponibilidade de recursos tecnológicos como o Big Data, a Inteligência Artificial e Machine Learning, possibilitou esse conceito. Afinal, ele se baseia no processamento de dados em grande quantidade, para criar parâmetros e diretrizes que otimizem as tomadas de decisão em qualquer negócio. 

O data driven na saúde, e em qualquer setor, trabalha com alguns pilares para ser um conceito eficiente, na prática. Portanto, é necessário coletar os dados do maior número de fontes o possível, e o principal: ter a capacidade estrutural e tecnológica para analisá-los de forma inteligente, e de fato, possibilitar um atendimento de alto nível!

 

Como funciona o data driven na saúde?

A implementação do data driven na saúde passa pelo entendimento deste conceito como uma cultura organizacional da empresa. Por isso, os profissionais que gerenciam a instituição e lideram o processo, precisam definir e executar as estratégias para que essa cultura funcione.

Este processo se inicia com o investimento em tecnologia para coletar os dados, processá-los e no final gerar informações valiosas, que potencializam as capacidades dos colaboradores. Além disso, os softwares automatizam e, consequentemente aceleraram a operação para oferecer aos profissionais dados sólidos para a tomada de decisão!

Contudo, não basta ter acesso a tecnologias avançadas como a IA e o Big Data, se os médicos e demais colaboradores não souberem interpretar os dados. Afinal, todos os profissionais devem estar alinhados e capacitados para utilizar as informações de forma com que elas ajudem a fazer as melhores escolhas nos processos em que estão inseridos. 

Com infraestrutura e tecnologia à disposição, além de profissionais bem treinados e capazes de aplicar o data driven na saúde, o próximo passo é planejar as ações. É fundamental ter um fluxo de trabalho organizado e eficiente no dia a dia. Isso faz com que os recursos sejam desenvolvidos e utilizados para salvar vidas!

 

As vantagens

O grande desafio ao atuar no setor da saúde, é lidar com a responsabilidade de salvar vidas e cuidar das pessoas. Procedimentos como a anestesia, por exemplo, são muito delicados, portanto, não há margem para erro. Por isso, o benefício central do data driven na saúde é eliminar as falhas, mas a partir de um ponto de vista estrutural.

O tempo dentro de um hospital é muito curto, por isso, existe uma demanda muito grande por um atendimento ágil e eficiente. Seja na recepção aos pacientes, no agendamento das consultas, e claro, nos procedimentos cirúrgicos. Os dados automatizam e simplificam cada uma dessas etapas, além de gerar mais assertividade, melhores resultados, e claro, uma experiência satisfatória ao paciente.

Contudo, os dados não servem apenas para melhorar o procedimento anestésico, por exemplo, embora sejam cruciais para isso. Eles contribuem para um aperfeiçoamento contínuo de todos os processos em uma instituição de saúde, a partir da criação de métricas de desempenho, por exemplo. Com elas, é possível mensurar diversos aspectos fundamentais, como as finanças, além de fazer ajustes e otimizar os processos!

A cultura do data driven permeia toda a instituição e serve como uma poderosa ferramenta para aperfeiçoar a gestão hospitalar. Os dados, relatórios e indicadores gerados pela tecnologia ajudam a embasar decisões cruciais na administração. A aquisição de equipamentos, alterações na equipe e novos projetos são etapas que podem ser mais bem sucedidas quando pautadas no estudo dos dados. 

 

As tecnologias que compõem a cultura data driven

Até aqui, abordamos o data driven como um conceito e depois explicamos a forma com que ele se aplica como uma cultura nas instituições de saúde, e os benefícios de sua implementação. Agora você irá entender como ele funciona a partir do conjunto de recursos tecnológicos que possibilitam o seu desempenho.

Para que uma instituição de saúde tome decisões baseadas em dados e tenha acesso aos benefícios que este método proporciona é importante entender o poder dos dispositivos, ferramentas e abordagens tecnológicas. 

Por esse motivo, listamos algumas palavras-chave que devem fazer parte do dia a dia de uma instituição que pretende colocar em prática a transformação digital na saúde!

 

Inteligência Artificial 

Uma das grandes revoluções tecnológicas dos últimos anos, que está em constante evolução. Potencializa os recursos de sistemas e ferramentas digitais para resolver problemas e gerar soluções com máxima eficiência.

 

Big Data 

Conceito que busca otimizar a capacidade de coletar, analisar e tratar uma grande quantidade de dados, com o objetivo de tomar decisões mais inteligentes e gerar melhores resultados.

 

Machine Learning

Tecnologia em que algoritmos, em computadores ou aplicativos, por exemplo, proporcionam aos sistemas a capacidade de aprender com o processamento dos dados e identificar formas de obter um melhor desempenho em seu funcionamento.

 

Armazenamento em nuvem

Sistemas com a capacidade de armazenar os dados com segurança e em grande quantidade. Eles também possibilitam um acesso remoto e inteligente, que resulta em processos mais rápidos e eficientes.

 

Integração de sistemas

A integração de sistemas possibilita o compartilhamento em massa dos dados e fazem com que diferentes setores de uma instituição funcionem em conjunto.

 

Você já sabe que a tecnologia é uma grande aliada na saúde. Entretanto, é preciso entender que além de inúmeros benefícios, existem alguns pontos que podem ser prejudiciais, e você deve estar atento a eles. Veja agora em nosso blog os prós e contras da tecnologia na saúde.


           
Posts relacionados